18 de junho de 2008

Até já *

Nunca pensei que morar numa residência universitária fosse tão positivo. A experiência tem sido cada vez melhor. As amizades têm crescido e são aprofundadas, conhecemo-nos a ponto de saber quando algo não está bem. É bonito ver que há ali confiança, sinceridade e, acima de tudo, amizade. Nunca estou sozinha, há sempre alguém com quem conversar, com quem podemos rir e chorar, com quem podemos desabafar ou até mesmo alguém em quem podemos confiar. Quantas não foram as vezes em que ri, chorei, desabafei e confiei. Porque só nos temos a nós, porque somos uma família. Mas essa família vai sendo renovada, há pessoas que saem e outras que se vão inserindo. E a saída não passa despercebida. Foi muito difícil a despedida, o dizer até já que sabemos que vai ser longo e tardio. Muitas lágrimas cairam pela face, muitos abraços foram dados, muitos conselhos foram ouvidos e retribuídos. A saudade já a sinto mas do meu coração já ninguém vos tira porque vocês são, de facto, importantes.
Como diria uma certa pessoa "Ninguém pára o piso 3 do bloco C olé oh...", sem nos esquecermos de referir que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!

Até já *

Sem comentários: